Buddhachannel










Instagram





Rubricas

Biografia de Kobo Daishi

segunda-feira 11 de Abril de 2016, por Buddhachannel Portugal

Langues :

Curta Biografia de Kobo Daishi

Kobo Daishi nasceu em 774 na ilha de Shikoku no que hoje é Kagawa. Seu pai era um governador provincial local. A lenda conta que sua mãe ficou grávida depois que ela teve um sonho com um sábio indiano que entrou em seu abdômen.

Aos quinze anos ele foi para a capital com o tio. Aos dezoito anos ingressou na Universidade Nacional. Naquela época, a universidade foi concebida para formação de funcionários para o governo, e o currículo baseava-se no tradicional sistema de ensino educacional chinês de Confúcio.

Na capital ele foi orientado por um monge budista chamado Gonso. Ele também recebeu instruções para uma prática budista esotérica dedicada ao Bodhisattva Akashagarbha.

Em 793, com vinte anos ele decidiu entrar para o sacerdócio. Inicialmente, ele mudou seu nome para Kyokai, e mais tarde mudou para Nyoku. Finalmente, quando recebeu ordenação completa como sacerdote, tomou o nome de Kukai, que manteve durante o resto de sua vida.

Com vinte e quatro anos ele escreveu um ensaio chamado "Indicações dos Três Ensinamentos" (Sango Shiiki), explicando suas razões para o sacerdócio. Ele falou de sua insatisfação com a vida cotidiana e sua busca pelo sentido. Ele descreveu sobre sua vida errante nas montanhas onde viveu entre plantas selvagens e dormindo onde poderia contar apenas com um fino manto de abrigo no inverno. Ele disse também que estudou as escrituras praticando rituais esotéricos como a "Meditação na Estrela da Manhã de Akashagarbha", que havia aprendido em Kyoto.

Sua primeira experiência budista não se limitou às montanhas. Grande parte do seu tempo que ele passou estudando sutras em templos, e escreveu:

Minha mente ainda não estava realizada; foi assim que eu suplicava com todo meu coração aos Budas iluminados em todas as direções, no passado, presente e futuro, para que a essência da verdade última de não-dualidade me fosse revelada.

Como resultado das suas orações, ele foi ao templo Kumedera. Lá, em uma pequena stupa ele descobriu uma cópia da escritura conhecida como a Dainichi-kyo. Finalmente ele havia encontrado um ensino que combinara o conhecimento empírico que tinha alcançado em meditação na montanha:

Ser Iluminado é simplesmente compreender plenamente a verdadeira natureza de sua própria mente. Compreender plenamente a verdadeira natureza de sua própria mente é igual à compreensão de tudo.

Ele estudou o sutra intensamente, mas achou difícil de entender. Para sua insatisfação, ele não conseguiu encontrar alguém no Japão que poderia explicar certas partes do sutra, por isto, ele decidiu viajar para a China, onde o texto foi traduzido do original sânscrito à forma clássica chinesa comum no Japão. Em 804, ele recebeu permissão oficial para estudar no exterior.

Ele viajou para a China na companhia de uma missão oficial que incluía o embaixador japonês. Dentro de quatro meses da sua chegada na capital chinesa, ele foi aceito como aluno do mestre do budismo esotérico Hui-kuo. Durante os próximos oito meses, Hui-kuo instruiu Kukai na teoria e prática budista esotérica, e lhe deu o nome religioso de Henjo Kongo que significa "Esplendor Adamantino Universal". Ele então foi escolhido como sucessor do velho monge com trinta e dois anos de idade.

No mesmo mês em que ele designou Kukai seu sucessor, Hui-kuo lhe disse: Você recebeu tudo o que eu tinha para transmitir. Regresse agora à sua pátria e divulgue este ensinamento a fim de aumentar a felicidade do povo e promover a paz na terra. Hui-kuo morreu logo depois.

Kukai retornou ao Japão em 806. No ano seguinte ele foi para a capital em Kyoto. Ele recebeu permissão para instruir os outros no que tinha aprendido de Hui-kuo e logo deu uma aula inaugural sobre o Dainichi-kyo no templo Kumedera, em Nara, o local onde anos antes ele tinha encontrado o texto.



Durante os próximos dez anos, ele viveu no primeiro templo ensinando o que tinha aprendido e depois se mudou para outro templo próximo da capital. Em 817 foi lhe concedido um planalto montanhoso conhecido como Koyasan para criar um centro religioso para a formação de sacerdotes nas doutrinas e práticas Shingon.

Ele continuamente enfatizou a importância de combinar o estudo com a prática. Foi assim que ele chegou à sua própria compreensão da verdade, e pensou que seria importante criar um centro onde outros teriam a mesma oportunidade. Koyasan continua a ser a sede da principal Tradição Shingon e o objetivo de dezenas de milhares de visitantes japoneses e estrangeiros que vêm para ver os templos e conhecer as práticas rituais Shingon.

Ao longo da última metade de sua vida, Kukai continuou a produzir ensaios e poemas que definem a Doutrina Shingon. Entre os mais importantes ensaios são, "Os Dez Níveis do Desenvolvimento da Mente", e um trabalho menor resumindo o mesmo tema, "A Preciosa Chave do Tesouro Secreto". Estes foram escritos em resposta a uma convocação imperial a cada seita budista para resumir seus ensinamentos. Ambos tomam como ponto de partida uma passagem do Sutra Mahavairocana que diz que "a iluminação consiste em conhecer a mente como ela realmente é". Foi a partir deste princípio que estabeleceu as fases do desenvolvimento espiritual da mente a partir da base, do instinto animal para a plena realização da realidade última.

As atividades de Kukai não se limitaram apenas a promulgação da Doutrina Shingon. Ele também fundou a primeira escola particular no Japão aberta ao público em geral. Tradições sobre ele incluem relatórios de seu domínio na caligrafia, pintura e escultura. Ele também é reverenciado como o inventor do silabário japonês, bem como sendo creditado com a descoberta de águas termais, instruindo as pessoas no uso de carvão e construção de barragens, pontes e estradas.

No primeiro mês do ano 835, ele realizou uma semana de serviço para a paz e a prosperidade do Japão dentro do palácio imperial. Depois, no segundo mês ele anunciou sua partida de Kyoto e se dirigiu pela última vez ao Koyasan.

Ao chegar em Koyasan por sua vez, começou um jejum que excluía totalmente a carne e grãos, e praticou a meditação sentada. No dia 15 do terceiro mês, ele chamou seus discípulos em conjunto para anunciar que no dia 21 ele iria realizar a passagem. Então, depois de purificar ritualmente seu corpo e vestindo roupas limpas, ele foi para uma sala onde assumiu a posição de lótus. Então colocou as mãos em mudra (gesto ritual) simbolizando Dainichi Nyorai, cantou o mantra de Dainichi e entrou na meditação de Maitreya (o Buda do futuro). Ele permaneceu nesse estado durante sete dias, até o dia 21 do terceiro mês, em 835, quando então entrou em samadhi eterno como ele havia previsto. Ele estava com sessenta e dois anos. Em 919, cinqüenta e oito anos depois, o Imperador Daigo concedeu-lhe o título honorífico póstumo de Kobo Daishi, que significa "Grande Mestre Propagador do Ensino".




Fórum requer assinatura

Para participar nesse fórum, deve estar previamente registado. Por favor indique a seguir o identificador pessoal que lhe foi fornecido. Se não está registado, deve inscrever-se.

Ligaçãoinscrever-sepalavra - passe esquecida ?

1 Mensagem

  • Biografia de Kobo Daishi 27 de Dezembro de 2011 16:09, por A Kobo

    Eu tenho Kobo em meu sobrenome, e uma vaga informação de que este fora dado pelo Kobo Daishi a uma familia japonesa como retribuição ao acolhimento durante sua peregrinação. Isto me intriga há muito tempo e gostaria, fosse fosse possível, maiores informações relacionada a este mestre. A familia de meus avos imigraram para o Brasil em 1925, portanto sou da terceira geração (sansei). Ou, onde posso ter acesso a estas informações, se elas existem documentadas.
    Obrigada
    Akemi Kobo

    repondre message